Resenha: Solomon Kane – Caçador de Demônios

Olá pessoal! Mais uma notícia das telinhas para você! Do mesmo criador de Conan aina por cima…

Cuidado – Espoiler!!!

Na primeira sequência de Solomon Kane – O Caçador de Demônios (Solomon Kane), o protagonista é apresentado como um guerreiro experiente. Ele é tão competente no que faz que o próprio Demônio encomenda a alma dele. Para escapar do Inferno, o herói faz um voto de não-volência e coloca o fim em sua carreira.

O espectador que foi assistir a um filme de ação sabe que em algum momento esse código de conduta será posto à prova e Solomon voltará a participar de batalhas sangrentas. O problema é que esse ponto de virada demora a acontecer e o filme ganha uma barriga narrativa. Depois do marasmo, o fã do personagem poderá conferir combates violentos que envolvem lâminas e tiros.

Solomon Kane foi criado por Robert E. Howard, que também é “pai” de Conan e Red Sonja. Para quem acompanha a obra dele, há algumas referências leves no roteiro. Mesmo assim, marinheiros de primeira viagem no universo de Howard não ficarão perdidos.

Apesar de se passar no século XVII, Solomon Kane – O Caçador de Demônios é ambientado em um mundo que pode ser classificado como medieval fantástico. No entanto, o nível de magia desse mundo é bem baixo, menor até do que a Terramédia de Tolkien. Portanto, as batalhas são quase todas travadas entre seres humanos, sem criaturas fantásticas zanzando por todo canto.

O interessante do universo em que a trama se desenvolve está no fato de coexistirem a fé cristã ao lado da magia do folclore europeu. A forma como essas duas crenças convivem é bem retratado no roteiro em breves falas dos personagens.

Para ajudar o leitor que curte filmes do mesmo gênero de Solomon Kane, a melhor avaliação é situá-lo entre seus iguais. A nova fita não chega a empolgar como a trilogia O Senhor dos Anéis, mas também não decepciona como Eragon.

Anúncios

2 Respostas to “Resenha: Solomon Kane – Caçador de Demônios”

  1. ah, eu ñ vi o final, mas achei legal até a parte onde parei =] tsc, tava esperando ver o fim pra escrever a respeito, mas foram mais rápidos 😛

  2. Recomendo a leitura das HQs (sim, é outra adaptção de quadrinhos) que saíam na revista do Conan.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: